quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

Pão de... Pão do...

Marta, é uma colega de trabalho do marido, que eu tive poucas, mas ótimas oportunidades de conversar. Da última vez que conversamos, nos descobrimos com algumas afinidades, e dentre elas, a gastronomia.
Conversa vai, conversa vem, falando de comidas tradicionais de final de ano (aquelas que a gente espera o ano todo pra fazer...), Marta me revelou que o seu pão de mel (receita herdada da mãe) era feito de forma artesanal (o que, sem sombra de dúvida, dá muito mais trabalho), em que ela preparava um chá com especiarias pra empregar na receita. Foi quando me lembrei que, numa das minhas idas ao mercadão de SP, descobri uma barraca daquelas em que são vendidas apenas especiarias, uma mistura pronta própria para pão de mel deliciosa, da qual eu muito me agradei e que trouxe muitas alegrias para minha cozinha. Encerramos a conversa com a promessa de que eu, esse ano, entraria no rol das pessoas agraciadas pelos pães de mel feitos pela Marta.
Ontem, o marido me trouxe alguns dos seus "quadradinhos perfumados", mas, somente hoje, pude prová-los.


Marta, na boua, esquece tudo o que lhe falei sobre a mistura para pão de mel do Mercadão, seu pão de mel é divino, coisa rara, para poucos (o que muito me lisonjeia). Até eu, que não tive uma infância com "recuerdos" banhados a pão de mel, sua receita me levou, no mínimo, no mínimo, para o mundo da imaginação...

O nome é pão de mel, mas, nas suas mãos, bem que poderia ser chamado Pão do Céu...