quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

Nunca subestime uma lanchonete...

Ontem, acordei super atrasada.
O marido precisava trabalhar e eu precisava levá-lo ao trabalho, para poder, então, fazer as compras da semana. Nesse corre-corre, saí de casa sem tomar café, apenas com um copo de suco na barriga. Tentei a lanchonete mais perto do trabalho do marido pra ver se conseguia comer alguma coisa antes de encarar o supermercado. Para a minha surpresa, a lanchonete, que estava acabando de abrir, só tinha coxinhas, risoles e pastéis, e claro, não rolava tanta fritura logo no café da manhã.
Decidi que arriscaria outro lugar, onde pudesse matar, de vez, a minha fome matinal.
Estava tão preocupada com a hora e mal percebi que já estava no supermercado empurrando carrinho. Fui direto para a lanchonete do próprio supermercado, como minha única opção. Ao chegar lá, a vitrine mostrava risoles, coxinhas, folhados, sanduíches, pastéis, croissants...
Coxinhas, risoles e pastéis já haviam sido riscados da minha lista.
Restou os croissants, salgados folhados é verdade, mas, naquele momento, pareciam-me os mais saudáveis. Escolhi croissant misto e torci para que tivesse feito uma boa escolha.
Ao morder aquele pão, ainda quente, vi sair de dentro um ar fumegante e perfumado, e as finíssimas camadas da massa folhada se abrirem uma a uma, macias por dentro e crocante por fora. Dentro, o recheio simples, queijo muzzarela e um rolinho de presunto (de boa qualidade) se esparramavam a cada mordida.

Sempre subestimei lanchonetes de supermercado por achar que nunca encontraria bons produtos feitos em grande escala.
Nada como ser surpreendida...