quinta-feira, 8 de maio de 2008

Dinner in the Sky

Lendo a Revista da Folha, publicada no último domingo, me deparei com uma reportagem, no mínimo, curiosa. O título era: "Jantando nas nuvens" e encabeçando a reportagem, uma foto que me chamou a atenção, algo que me fazia lembrar os chamados esportes radicais.
Mas, o que teria em comum comida com esporte radical?!
Seria, então, uma forma "radical" de se comer?!...
O lugar da foto é na Hungria e lá no alto, a 50m do chão (o equivalente a um prédio de 16 andares), convidados seletos dessa inusitada "viagem gastronômica" vivem uma experiência única: a de jantar numa mesa suspensa por cabos de aço.
Na sequência, a repórter relata as sensações de estar fazendo parte da "segunda leva" dos clientes húngaros e descreve a aparato necessário para se jantar "seguro". Cadeiras confortáveis, que mais parecem poltrona de avião, prendem o convidado em 3 cintos de segurança, deixando-o com movimentos limitados.
O cardápio especialmente produzido (ao vivo) pela melhor equipe gastronômica de Budapeste, tem como chef Orban Bcla e conta com uma carta de vinhos meticulosamente selecionada.
A mesa comporta 22 pessoas sentadas e 5 em pé, instaladas no centro para realizar o serviço. O aluguel por 8h do equipamento básico, incluindo 3 funcionários para instalar as pessoas com segurança nas cadeiras e para guiar a grua que eleva a mesa, custa a "bagatela" de 7. 900 euros (algo em torno de 21 mil reais), fora a comida. E se o cliente quiser, ainda pode contar com o serviço de música ao vivo.
David Ghysels, um dos inventores da atração explica: "Eu não vendo um jantar. Esse cardápio você encontra em qualquer bom restaurante. Eu vendo é uma experiência única na vida das pessoas".

Eu, que não tenho asa, nem sou muito fã de altura, sinto o estômago embrulhar só de pensar nessa nova forma de comer...
E você?! Encararia o desafio?!

Fonte: Folha de SP