domingo, 2 de março de 2008

Empreitada na cozinha

Não venho por meio deste comunicar aos leitores que o blog ficará interditado por estar a minha cozinha em reforma. A empreitada de que falo, levou apenas algumas horas e se trata da receita de Bolo de Maçã e Canela, que resolvi fazer este final de semana. A empreitada começa pela composição da massa que leva farinha de trigo integral e que, portanto, não havia como a receita não ficar densa, compacta, pesada. Depois de agregar todos os ingredientes e desistir de mexer com uma colher de sopa (quem teve essa magnífica idéia ?!), só me restou pôr a mão na massa, literalmente. Ao final, depois de algum tempo de trabalho braçal, obtive uma massa digna de ser aplicada em qualquer construção civil, qual não era a sua textura. Fôrma de pudim untada e devidamente polvilhada, chega a hora de espalhá-la na fôrma. Espalhar? Rufam os tambores. Impossível. Se tentasse assim fazê-lo, seria nocaute, na certa, da pobre fôrma de pudim. Recorro mais uma vez a tão sofrida colher de sopa, que exerce, agora, funções de servente de pedreiro: retirar a "argamassa" da vasilha e cimentá-la na fôrma. Etapa concluída, hora de acionar o despertador-sirene de obra para acompanhar os momentos finais e decisivos do trabalho. Enquanto o bolo assa, sou surpreendida pelo perfume de canela que invade a minha casa. Corro para o visor do fogão e percebo que aquela massa, antes, sem elasticidade alguma, começa a ganhar forma e volume, tomando jeito de bolo. Aproximadamente, 1h depois, retiro do forno um bolo perfumado com uma casquinha crocante de açúcar e canela por cima. Deixo-o esfriar e então, sirvo-o para uma amiga, que depois de prová-lo, enche-me de elogios, aprovando a receita.

É...os brutos também são comestíveis...